Cálculos Trabalhistas

Quem ganha o salário mínimo e quer saber quanto vale um dia ou hora de trabalho, basta seguir os seguintes passos:

Calcular dia de trabalho: Valor legal / dias do mês.

Por exemplo: 724,00 / 30 dias =24 reais vale o dia de trabalho de quem ganha salário mínimo.

Calcular hora trabalhada: Salário do dia x Dias na semana / horas na semana

Por exemplo: 24 x 6 / 44 = 3,27 (salário por hora).

Em relação aos ADICIONAIS:

  • Adicional de Hora Extra: 50% x hora normal
  • Adicional Noturno: Urbano – 20% x hora diurna. Rural – 25% x hora diurna.
  • Adicional de Insalubridade: 10, 20 ou 40% do salário mínimo.
  • Adicional de periculosidade: 30% x salário básico. Para eletricitários é 30% do salário total.

Vale lembrar que Adicionais NÃO SÃO direito adquirido, ou seja, caso o fato gerador pare de acontecer, o trabalhador perde direito ao adicional.

Apenas em relação as horas extras habituais suprimidas pelo empregador, existe uma indenização prevista na súmula 291 do TST para o empregado.

Exemplo: Trabalhador que laborava no período noturno e foi transferido para o período diurno pode, sim, perder o adicional noturno sem que haja afronta às leis trabalhistas.

O 13º salário é calculado da seguinte forma: 1/12 x Remuneração  x quantidade de meses trabalhados (fração maior igual a 15 dias).

Por exemplo: 8 meses e 16 dias de trabalho= 9/12 x Remuneração.

Lembrando que o 13º salário deve ser pago, obrigatoriamente, em 2 parcelas, sendo o adiantamento pago entre fevereiro de novembro e a segunda parcela até o dia 20 de dezembro de cada ano.

Calcular Rescisão: Aprenda a utilizar nossa calculadora trabalhista

Calcular Rescisão

Para facilitar sua vida na hora de calcular rescisão em nossa calculadora, criamos um vídeo que é uma espécie de manual.

Veja o vídeo abaixo:

Para calcular rescisão, você terá que preencher alguns dados.

Coloque o último salário recebido no campo “ultimo salário”;

Logo depois preencha a data em que você começou a trabalhar no seu emprego;

Agora coloque a data em que você saiu do seu emprego;

Com os dados iniciais preenhcidos, você ira selecionar o motivo da sua saída do emprego, no nosso caso demissão sem justa causa;

Em seguida, você deve informar se o aviso prévio foi trabalhado ou indenizado;

A últiima informação necessária é a respeito das férias. Se o empregado possui férias dentro, escolha a opção sim.;

Importante lembrar que férias vencidas são aquelas que o empregado já tem direito, mas foi demitido antes de poder aproveitá-las efetivamente.

Com todos os dados preenchidos, clique em CALCULAR.;

Uma tabela com todos os valores será gerada pela nossa calculadora automática.

Definitivamente, ficou mais fácil calcular rescisão com a nossa calculadora trabalhista automática. Concorda?

SORTEIO: Livro Cálculos Trabalhistas – Markus Samuel

Para comemorar o sucesso da nossa Calculadora Trabalhista, estaremos fazendo o primeiro de muitos sorteios que virão pela frente.

E, como não poderia deixar de ser, o prêmio a ser sorteado será o livro “Cálculos Trabalhistas”, escrito por Markus Samuel.

Para concorrer é bem simples: Basta deixar um COMENTÁRIO nessa postagem, indicando NOME e EMAIL, explicando PORQUE você quer ganhar esse livro sobre cálculos trabalhistas.

Explicar o motivo pelo qual você quer ganhar o livro é fundamental para estar concorrendo.

É só comentar que você estará concorrendo.

O resultado do sorteio sairá no dia 20 de novembro em nossa página oficial do Facebook.

CALCULOS TRABALHISTAS

 

UPDATE: O VENCEDOR DO SORTEIO FOI O SENHOR AZENRALDO, conforme sorteio abaixo. PARABÉNS!!

GANHADOR SORTEIO

13º salário

O 13º salário, também conhecido como gratificação natalina, é regulado pelas leis 4090/62, 4749/65 e Decreto 57.155/65.

A base de cálculo do 13º salário é a remuneração devida no mês de dezembro.

Lembrando sempre que a remuneração é a soma do salários com as gorjetas e quaisquer adicionais recebidos “por fora’.

O cálculo do 13º salário é feito da seguinte forma:

1/12 da REMUNERAÇÃO multiplicado pela quantidade de meses trabalhados.

Observe-se que para “mês trabalhado”, considera-se a fração igual ou superior a 15 dias.

Se o empregado trabalhou 7 meses e 16 dias por exemplo, será considerado que trabalhou 8 meses para fins do cálculo de 13º salário. Se o mesmo cidadão laborou 7 meses e 14 dias, terá direito apenas aos 7 meses de 13º salário.

O 13º salário é OBRIGATORIAMENTE pago em 2 parcelas pelo empregador.

A primeira parcela deve ser paga entre os meses de fevereiro e novembro.

O valor deve ser a metade do salário do mês anterior.

Frise-se que o empregador não é obrigado a pagar a primeira parcela do 13º salário para todos os empregados de uma vez só.

Entre os meses de fevereiro e novembro, a empresa pode escolher pagar o 13º salário aos poucos para não afetar diretamente nas finanças.

A segunda parcela do 13º salário deve ser paga até o dia 20 de dezembro de cada ano.

Tal parcela deve corresponder a remuneração de dezembro subtraindo-se a primeira parcela já paga.

O que fazer quando o empregador atrasa o pagamento do 13º salário ou simplesmente não paga?

Nesse caso, é necessário que seja feita uma denúncia ao ministério do trabalho, sendo aberto um auto de infração contra a empresa que provavelmente pagará multas altíssimas pelo descumprimento desse direito básico de qualquer trabalhador.

Não tenha medo e denuncie no ministério do trabalho da sua cidade.

Quer calcular o seu 13º salário? Acesse já nossa Calculadora Trabalhista.

Ainda possui alguma dúvida? Pergunte para um Advogado Online.

Cálculos Trabalhistas: nós fazemos para você.

O portal Calculadora Trabalhista é um site totalmente voltado para cálculos trabalhistas.

Aqui você poderá encontrar um mecanismo automático que calculará todos os direitos do empregado em diversas situações.

Essa ferramente é muito útil tanto para os empregados, quanto para os advogados militantes na área do direito do trabalho.

Além de cálculos trabalhistas de verbas geradas pela rescisão do contrato de trabalho (CLT), será possível, muito em breve, calcular 13º salário, FGTS, Multa de 40%, Seguro Desemprego, Multa pelo atraso no pagamento da rescisão e muitos outros.

Além disso, nós contamos com um exclusivo serviço de Advogado Online grátis, isto é, você poderá acessar esse serviço para não ficar qualquer dúvida a respeito dos cálculos gerados pela nossa Calculadora.

Quer calcular seus direitos trabalhistas? Clique aqui.

Quem trabalha sem carteira assinada tem direito ao acerto trabalhista?

Primeiramente, devemos destacar que a assinatura da carteira é OBRIGAÇÃO de todo e qualquer empregador.

No entanto, como se sabe, existem ainda muitos locais nos quais o trabalho é simplesmente informal sem qualquer anotação de CTPS.

Nesses casos de trabalho sem carteira assinada, surge uma dúvida para o trabalhador: Quem trabalha sem carteira assinada possui direito ao acerto trabalhista quando sair do emprego?

A reposta é positiva.

Todo empregado, ainda que não tenha a carteira assinada,  possui direito a um acerto trabalhista no momento que deixar o trabalho, seja por pedido de demissão ou dispensa (com ou sem justa causa).

Além do direito ao acerto trabalhista, o empregado pode requerer a anotação da CTPS de forma retroativa, fazendo com que o empregador anote a carteira com a data real de entrada no emprego.

Dessa maneira, quem trabalha sem carteira assinada possui, SIM, direito a receber as verbas rescisórias normalmente no final da relação de emprego.

Quer calcular seu acerto? Acesse já nossa Calculadora Trabalhista.

Fui demitido. Quanto é meu acerto trabalhista?

Quando o empregado é demitido, seja com aviso prévio trabalhado ou indenizado (aquele cumprido em casa), a primeira dúvida que surge em sua cabeça é: “Quanto será o meu acerto trabalhista?”.

Começa a surgir o medo de que o empregador não faça as contas corretamente e acabe pagando menos do que o devido no momento da homologação.

O empregado pode, nesse momento, utilizar a nossa Calculadora Trabalhista online gratuita para ter uma base de quanto possui direito a receber por conta da demissão sem justa causa.

Calcular o acerto trabalhista na nossa Calculadora é bem simples: Basta preencher qual foi o último salário recebido, o dia da entrada e dia da demissão, o tipo de aviso prévio e informar se havia férias vencidas ou não;

Após apertar no botão “calcular” será gerada uma planilha com todos os direitos do empregado demitido sem justa causa.

Importante lembrar, no entanto, que essa planilha é só uma base inicial para o trabalhador. A consulta com um profissional especializado é fundamental, pois podem haver mais direitos ainda a receber não incluídos pela nossa Calculadora Trabalhista.

De todo modo, disponibilizamos essa calculadora trabalhista grátis para você calcular seus direitos quantas vezes quiser.

O acerto trabalhista na demissão por justa causa

A dispensa por justa causa, sem dúvida, é a punição mais severa e dolorosa que um empregado pode receber do seu empregador.

Até por conta disso, os motivos existentes para haver uma demissão por justa causa são TAXATIVOS e estão todos previstos em lei.

O empregador apenas pode se basear nos motivos trazidos pela lei para demitir um empregado por justa causa.

Clicando aqui, você pode ver os motivos para uma demissão por justa causa.

A nossa meta nesse post é, no entanto, demonstrar o acerto trabalhista de um empregado que é demitido por justa causa. Lembrando sempre que a nossa Calculadora Trabalhista faz todo esse cálculo para você de forma automática.

O grande problema para o empregado na demissão por justa causa é que este deixa de receber quase todos os direitos no momento do acerto.

Quando um empregado é demitido por justa causa, o empregador só deverá pagar, a título de acerto trabalhista, as verbas que o trabalhador já tiver tornado direito adquirido.

Mas quais são essas verbas que se tornaram direito adquirido do empregado?

As verbas são: Saldo de Salário e Férias Vencidas (se houver).

As duas verbas são direitos adquiridos porque o empregado já fez jus a elas em troca do seu trabalho. O empregado já trabalhou, então deverá receber por isso.

Pasmem: Até se o empregado MATAR o empregador, ele terá direito ao saldo de salário e férias vencidas (se houver) no momento da rescisão trabalhista.

No entanto, o empregado demitido por justa causa perde o direito a receber todas as verbas proporcionais, além de não ter direito ao aviso prévio, saque de FGTS e, muito menos, seguro desemprego.

Dessa maneira, o empregado demitido por justa causa não receberá férias proporcionais ou 13º proporcional no momento do acerto.

É por conta disso que a demissão por justa causa é considerada a mais alta punição para qualquer empregado.

Foi demitido por justa causa? Calcule seus direitos em nossa Calculadora Trabalhista.

Bem vindos ao novo portal de cálculos trabalhistas gratuitos.

Olá,

Hoje, 24 de outubro de 2013, está oficialmente lançado o novo portal de cálculos trabalhistas gratuitos, o CALCULADORA TRABALHISTA.

Inicialmente estamos com a versão BETA do nosso site, trazendo alguns dos cálculos mais populares, tais como verbas na demissão sem justa causa, pedido de demissão e demissão por justa causa.

Agora ficou fácil calcular direitos trabalhistas.

Para saber quanto será o seu possível acerto, basta você preencher corretamente os dados requeridos pela nossa calculadora, clicar em calcular e pronto: Uma planilha pormenorizada será gerada demonstrando, verba a verba, todos os direitos em valores.

Calcular acerto trabalhista

Agora ficou fácil fazer cálculos trabalhistas

Ao longo do tempo, lançaremos muitas outras calculadoras relacionadas especificamente ao trabalho e emprego.

Nós estamos em parceria direta com o blog Direito do Empregado que possui o serviço de Advogado Online para tirar todas as eventuais dúvidas que surgirem depois dos cálculos trabalhistas efetuados.

A partir de hoje, entregamos mais esse serviço de utilidade pública para a sociedade e o melhor: É e sempre será gratuito.

Recomende nossa calculadora trabalhista aos seus conhecidos. Nos ajude a espalhar essa maneira fácil, simples e gratuita de fazer cálculos trabalhistas!